Publicidade

Yukanet

Grupos produziram espetáculos ao ar livre em Piçarras e Penha

Da Região - Uma celebração à vida e à arte emocionou o público que acompanhou a encenação da Paixão de Cristo nos municípios de Penha e Piçarras. Os espetáculos organizados por grupos locais reuniram um público superior a mil pessoas nas duas cidades e centenas de atores amadores da própria comunidade.

Piçarras

Uma estrutura com arquibancadas, cenários e iluminação foi montada nos fundos do ginásio de esportes Aurélio Solano de Macedo pelo grupo “Filhos de Santo Antônio”, que organiza a encenação com apoio da Prefeitura pelo 7º ano consecutivo.

A criação artística ficou sob os cuidados de Iria Quintino, responsável por inovar nos figurinos.

Para Maria Cecilia Borba (Cissa), coordenadora do grupo, a emoção de ver o espetáculo sendo realizado, e a mensagem sendo transmitida, é o que a motiva.

A gente sempre pensa que no próximo ano não iremos nos envolver, afinal é muita correria. Mas não consigo. Já estamos pensando nas novas ideias.

O grupo recolheu do público alimentos perecíveis que serão distribuídos pela Paróquia Nossa Senhora da Paz. Maria não soube informar a quantidade arrecadada, mas se diz satisfeita com o resultado.

piçarras: produção de cenários, iluminação,figurino e elenco impressionaram o público (Fotos: Cleiton Reinert | PMBP)

Penha

De volta à região central da cidade, a peça foi dividida em três atos. A prisão de Jesus no Monte das Oliveiras foi encenada na praça da Igreja Matriz. Para o julgamento, a sede da Prefeitura representou o Palácio de Pôncio Pilatos. A crucificação foi representada no pátio da Escola Manoel Henrique de Assis, quer serviu de cenário para o Monte Gólgota.

No papel principal, Beto Leite conta que se emocionou ao voltar a participar da produção:

Interpreto Jesus nesta representação desde que tinha 17 anos", conta.

Neste ano o elenco formado por atores do parque Beto Carrero foi substituído por artistas amadores da comunidade. Segundo afirma em nota o diretor de cultura da Secretaria de Educação Eduardo Bajara, em função das medidas para contenção de despesas, a apresentação foi mais modesta e "respeitosa". 

Este ano fizemos uma apresentação mais modesta, mas mais respeitosa, atendendo a pedidos da própria comunidade cristã, e contamos com grande apoio de pessoas da própria comunidade que se voluntariaram para representar - afirma. 

Procurada pelo Expresso das Praias para esclarecer a comparação, a Prefeitura de Penha não quis explicar em que aspecto as apresentações anteriores teriam sido menos respeitosas. Apenas repetiu que a mudança partiu da própria comunidade.

 

Penha: membros da comunidade substituíram elenco de atores na peça encenada na região central (Fotos: Divulgação | PMP)

No município de Barra Velha a tradicional encenação da Paixão de Cristo não se realizou esse ano. Segundo a paróquia, porque há a necessidade de cortar gastos.


* Edição: Leandro Cardozo de Souza

Publicidade
  • 1
X

Right Click

No right click