fbpx
Agosto lilás faz alerta sobre violência contra a mulher no estado

REGIÃO - Está detido no Presídio Regional de Joinville desde sexta-feira, dia 09, Leonardo Nathan Chaves Martins. Ele é suspeito de matar com tiro a namorada Gabriella Custódio da Silva, de 20 anos, dia 23/07. A ordem de prisão foi expedida na quinta-feira (8), três dias depois que familiares da jovem foram recebidos na Câmara de Vereadores de Penha, de onde a família dela é originária.

O corpo de Gabriella foi deixado pelo namorado em no Hospital Bethesda de Joinville, para onde foi levado dentro do porta-malas e dispensado em menos de um minuto.  À Polícia, Leonardo declarou que o disparo da arma foi acidental. Ele vai responder por feminicídio.

Continua depois da Publicidade

A irmã de Gabriella, Andreza Custódio da Silva, ocupou a tribuna da Câmara de Vereadores para agradecer a iniciativa do Legislativo local, o apoio da comunidade de Penha e também para corroborar a exigência de que se faça justiça mediante investigações que esclareçam o caso. 

A Câmara prestou homenagem à memória da moça por meio de moção de pesar de autoria dos vereadores Jesuel Capela (PSDB), Maria Juraci Alexandrino (MDB) e Regiane Severino (MDB).

2019_08_12_17h_penha_gabriella_leonardo.jpg
Grabriella e Leonardo em foto posta nas redes sociais (Reprodução)

Feminicídio preocupa

A propósito do número crescente de feminicídios em Santa Catarina - 45% a mais entre janeiro e julho deste ano em comparação com o mesmo período de 2018 - , o Governo do Estado lançou durante a semana a campanha Agosto Lilás. O objetivo da ação é levar a discussão sobre a violência contra a mulher para área rural, escolas, presídios, centros de atendimento socioeducativo, unidades de saúde e promover a conscientização em Santa Catarina.

O ato também marcou o anúncio de normativa que destina até 5% das vagas nas contratações de serviços terceirizados no Governo do Estado para mulheres em situação de vulnerabilidade econômica decorrente de violência doméstica e familiar.

Agosto Lilás é um grito

As iniciativas fazem alusão ao aniversário da Lei Maria da Penha (Lei n º 11.340) e estabelecem um mês de atividades de conscientização da população sobre os tipos de violência contra a mulher e como combatê-los, além de capacitação dos profissionais para o atendimento às vítimas. A expectativa é atingir cerca de 700 mil pessoas em ações diretas de discussão sobre o tema. 

2019_08_12_17h_penha_gabriella_leonardo.jpg
Governador lançou campanha "lilás" para combater a violência contra a mulher (Divulgação | Secom)

Com a campanha, ações de todas as secretarias de Estado, autarquias e fundações na prevenção à violência contra a mulher ganham visibilidade. O trabalho permanece durante todo o ano, focado não apenas no atendimento à vítima, mas também no apoio a toda a família.

Na solenidade, também foi lançado o site Santa Catarina Por Elas (www.santacatarinaporelas.sc.gov.br). A plataforma oferece telefones e endereços de toda a rede de suporte disponível no estado.

Leia também:
Principal suspeito de matar a ex-mulher assume o crime e poderá ir à júri popular
Polícia trabalha com hipótese de vingança contra o filho de mulher morta a tiros no São Cristóvão
  • 1
  • 2
X

Right Click

No right click