Publicidade

Soldado deve ser convocada novamente para prestar depoimento

Piçarras – A Polícia Civil recebeu no início deste mês o relatório da perícia feita na pistola modelo Taurus PT 100, calibre .40 usada pela policial militar Karoline Cristine do Amaral, 28 anos, que disparou e matou a prima dela, Talita Regina Silveira Glória, 32, dia 03 de janeiro, na casa de veraneio da família.

Publicidade

De acordo com o delegado Wilson Masson, a perícia apontou que a arma não apresentou nenhuma falha técnica. No depoimento de Karoline, prestado na noite da ocorrência, a arma teria disparado sem que a PM pressionasse o gatilho, no momento em que Karoline retirava as munições da pistola. O disparo atingiu Talita, que morreu no Pronto Atendimento.

Agora, segundo Masson, Karoline será novamente chamada para prestar depoimento. A Polícia Civil ainda vai avaliar a necessidade de fazer uma reconstituição do crime.

Karoline é soldado da Polícia Militar de Santa Catarina há três anos e integra o 14º Batalhão, em Jaraguá do Sul. Depois de atingir a prima com um disparo, ela prestou os primeiros socorros e se apresentou voluntariamente na delegacia de Polícia, onde prestou depoimento e foi liberada sob presença de um oficial da PM.

Continua depois da Publicidade

Talita morava em Mafra e era sócia-proprietária de uma agência de publicidade em Rio Negro, no Paraná. Ela veio a Piçarras passar férias com a família e havia chegado de madrugada, no mesmo dia da tragédia. Casada, Talita tinha uma filha de três anos.

Publicidade
X

Direitos Reservados

No right click