Publicidade
Covid-19

ESTADO - Após um período sem a chegada de novos lotes, Santa Catarina recebeu 468.800 doses de vacinas, entre quinta (29) e segunda-feira (3), para dar continuidade ao processo de vacinação contra a Covid-19.

Com este montante de quase meio milhão de novas doses, a expectativa do Governo do Estado é finalizar os grupos prioritários de idosos (até 60 anos) em primeira dose.

Publicidade

Do montante, 447.250 são vacinas da AstraZeneca/Oxford/Fiocruz, representando 95,4% do total das doses recebidas desde a última quinta-feira. Elas serão distribuídas para todos os municípios catarinenses.

Entre os dois carregamentos, 2.005 doses da vacina serão encaminhadas para Barra Velha, 1.465 irão para Balneário Piçarras, e 1.870 vão para Penha.

Mais de 95% das novas vacinas recebidas em SC são da AstraZeneca/Oxford/Fiocruz. (Fonte: Governo do Estado)

Comorbidades

Continua depois da Publicidade

Segundo a nota técnica nº 16 da Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive), das vacinas encaminhadas, de quinta a segunda, aos municípios catarinenses, 177.395 delas devem ser utilizadas para iniciar o grupo de pessoas com comorbidades, deficiência permanente, gestantes e puérperas.

A vacinação deste novo grupo foi definida entre representantes da Secretaria do Estado da Saúde (SES) e do Conselho de Secretarias Municipais de Saúde de Santa Catarina em reunião da Comissão Intergestores Bipartite, realizada na noite do último domingo (2).

Na primeira fase, serão vacinados, de acordo com o quantitativo de doses a ser disponibilizado, os grupos prioriatórios nesta ordem:

- Pessoas com Síndrome de Down, independente da idade (18 a 59 anos);
- Pessoas com doença renal crônica em terapia de substituição renal (diálise), independente da idade (18 a 59 anos);
- Pessoas transplantadas de órgão sólido ou de medula óssea, independente da idade (18 a 59 anos);
- Gestantes e puérperas com comorbidades, independente da idade (maiores de 18 anos);
- Pessoas com Deficiência Permanente cadastradas no - Programa de Benefício de Prestação Continuada (BPC), independente da idade (18 a 59 anos);
- Pessoas com Comorbidades e Deficiência Permanente de 55 a 59 anos.

“Para a comprovação da condição de risco, as pessoas com comorbidades podem apresentar qualquer comprovante que demonstre que ela pertence a um dos grupos de risco como exames, receitas, relatórios e prescrições médicas. Os cadastros já existentes dentro das Unidades de Saúde também podem ser utilizados”, explica o gerente de imunização da Dive, Arieli Fialho.

Continua depois da Publicidade

Na segunda fase, serão vacinados os grupos de pessoas com comorbidades, pessoas com deficiência permanente, gestantes e puérperas independentemente de condições pré-existentes, de forma escalonada, da maior para a menor idade:

- 54 a 50 anos;
- 49 a 45 anos;
- 44 a 40 anos;
- 39 a 35 anos;
- 34 a 30 anos;
- 29 a 18 anos.

51147322881 dfc27f9d42 k 5072f
Do quantitativo recebido, 37,84% das vacinas serão para grupos prioritários com comorbidades. (Fonte: Governo do Estado)

Segunda dose

Uma parte do quantitativo do carregamento do dia 29 de abril, 4 mil doses, são da Coronavac, imunizante do Instituto Butantan/Sinovac, que seriam enviadas aos 12 municípios em situação de emergência, sem estoque.

Barra Velha, Balneário Piçarras e Penha, segundo nota técnica nº 15 da Dive, estavam na lista. Eles deveriam receber, respectivamente, 70, 50 e 80 doses da Coronavac.

Continua depois da Publicidade

Apesar do anunciado na quinta-feira, nenhum dos três municípios em questão divulgaram a programação da aplicação da segunda dose do imunizante.

A expectativa é que o estado tenha mais doses da Coronavac em breve.

"Nos próximos dias, também estaremos recebendo mais uma remessa de vacinas para aplicação da dose 2 em Santa Catarina”, garante a Secretária de Estado da Saúde, Carmen Zanotto.

Pfizer

Santa Catarina também recebeu vacinas da Pfizer. Ao todo, foram 17.550 doses recebidas, que serão divididas entre Florianópolis e São José, únicas cidades catarinenses a receber o imunizante nesta etapa da vacinação.

“Neste primeiro momento, a decisão de enviar doses da Pfizer somente para esses dois municípios foi com o objetivo de avaliar a logística de distribuição, tendo em vista que as doses desta vacina exigem maior atenção. Em um segundo momento, outros municípios também vão receber as doses, sendo que serão capacitados para isso”, detalha João Augusto Brancher Fuck, diretor da Dive.

Publicidade
X

Direitos Reservados

No right click