fbpx
Relatórios de Penha, Piçarras e Barra Velha apontam para um percentual de 20%

REGIÃO - As secretarias municipais de Saúde reforçaram neste mês as ações de alerta aos usuários do SUS para o número crescente de pacientes faltosos a exames e consultas médicas. Relatórios de Penha, Barra Velha e Balneário Piçarras apontam para um percentual de 20% de faltosos em alguns dos serviços mais buscados na rede pública.

Os pacientes que esperam na fila por exames de ultrassonografia são os mais prejudicados nas rede de saúde de Penha e Piçarras. Em Barra Velha, o Centro Especializado em Reabilitação é um dos serviços mais atingidos. 

Continua depois da Publicidade

PENHA

O relatório mais recente aponta que entre 1º e 24/07 a ausência em exames e consultas com especialistas da rede municipal de Penha aumentou mais de 37% no mês de julho - de 97 pacientes faltosos em junho, o número saltou para 156. De acordo com a secretária Regiane Basso, além do agravamento do quadro de saúde do próprio paciente faltoso, a falta também prejudica quem espera na fila. A situação motivou campanha própria da Prefeitura de Penha visando conscientizar a população a respeito. 

Os procedimentos de média e alta complexidade são oferecidos no Núcleo de Apoio à Saúde da Mulher e da Criança (NAM), na rua João Veríssimo da Silva, número 45, no centro. O maior número de ausências é registrado para o exame de ultrassom (71), seguido por consultas com endocrinologista (13), neurologista (12) e pediatra (10). Também foram registradas faltas nos exames de ortopedia, mastologia, exame vascular, cardiologia, obstetrícia, psiquiatria e ginecologia.

A maioria dos faltosos não entra em contato para desmarcar o procedimento, o que prejudica quem espera na fila. A orientação é para que todo paciente que não puder comparecer comunique a falta para que outro paciente seja atendido.

2019_08_01_15h10_penha_consultas_ultrassom.jpg
Especialidades são oferecidas no Núcleo de Apoio à Saúde da Mulher e da Criança (NAM) (Foto: Arquivo | PMP)

Piçarras

Ao longo do mês de junho foram 790 agendamentos, dos quais 158 pacientes faltaram. Deste total, 632 pacientes compareceram aos agendamentos, queda de 10% em comparação com o mês anterior.

“Infelizmente a cada falta injustificada, um outro paciente que aguarda na lista de espera deixa de ser atendido. É uma reação em cadeia negativa que se forma”, lamenta a secretária de Saúde, Bruna Emanuela Machado.

Das especialidades na lista de junho, a com maior número de desistências - proporcionalmente - foi a Pediatria. Dos 45 agendamentos, 21 pacientes compareceram e 24 faltaram. Segundo o Setor de Regulação, há contato prévio com o paciente para confirmar a realização do exame.

“Não há problema em negar a consulta, mas pedimos que a ausência já seja negada no momento do contato”, orienta.

As faltas causam morosidade principalmente na lista de espera por ultrassonografia. No último mutirão, dia 13, 30% dos agendados não realizaram o procedimento. Em média – e como forma de baratear os custos – três mutirões são realizados por mês. Contudo, o alto número de faltas vem tornando o serviço inviável.

Em Barra Velha, equipe multidisciplinar atua no Centro de Reabilitação do município  (Foto: Arquivo | PMBV)

Barra Velha

A Secretaria Municipal de Saúde elaborou relatório de atendimentos realizados no Centro Especializado em Reabilitação. Segundo o levantamento, de janeiro a junho de 2019 foram efetuados 8.403 agendamentos, 6.646 atendimentos e foram registradas 1.757 faltas. De acordo com os dados coletados, o mês de maio apresentou 1.586 agendamentos e 1.224 atendimentos, o que resultou no mês com maior número de faltas do semestre, somando um total de 362 pacientes que não compareceram.

Assim como na Policlínica e nas Unidades Básicas de Saúde, o relatório destaca o alto índice de falta nos procedimentos. Desde o início do ano, mais de 20% dos pacientes que fizeram agendamento no Centro Especializado em Reabilitação não compareceram.

Para diminuir as faltas e agilizar o atendimento, a Secretaria Municipal de Saúde orienta os pacientes a informarem a ausência com antecedência pelo telefone 47 99112-9981, ou na Rua Pedro Francisco de Borba Coelho, 140, no Centro.

Leia também:
Mais sobre: saúde pública

 

  • 1
  • 2
X

Right Click

No right click