fbpx
Comissão deve discutir e votar relatório final em até 60 dias
Compartilhe:

ESTADO - A compra com dispensa de licitação de 200 respiradores mecânicos pela Secretaria de Estado da Saúde é o tema mais abordado no cenário político estadual. Na Assembleia Legislativa (Alesc), os deputados abriram Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que deve realizar a primeira reunião nesta terça-feira, dia 12.

Três parlamentares – Ada de Luca (MDB), João Amin (PP) e Laércio Schuster (PSB) – cobraram o afastamento imediato do secretário de Estado da Casa Civil, Douglas Borba. Para Ada de Luca, Borba já deveria ter sido afastado antes, diante do que chamou de “escândalo do hospital de campanha”.

Continua depois da Publicidade

“Acho que nem deveria ter assumido um cargo tão importante no governo”, avaliou.

Segundo a parlamentar, os outros dois servidores envolvidos na compra – Márcia Pauli, ex-superintendente de gestão administrativa, e Helton Zeferino, ex-secretário de Estado da Saúde – declararam ter havido pressão da Casa Civil na decisão da compra.

“O Borba veio a público dizer que era tudo mentira, que nada teve a ver com o caso. Mas, na mesma entrevista, disse que tudo passa pela Casa Civil. Isso não passou?”, questionou.

Laércio Schuster lamentou que o governo “colocou o Estado novamente nas páginas policiais” e lembrou que o governador foi eleito sob o que chamou de “chavão da nova política”.

“Não gosto desta expressão. Não existe nova ou velha política. Existe política bem feita ou mal feita”, disse.

O parlamentar do PSB revelou ter protocolado na CPI um pedido de acareação entre os envolvidos.

A líder do governo na Assembleia, deputada Paulinha (PDT), reconheceu que o Executivo errou na condução do caso dos respiradores, mas criticou a ideia de impeachment.

“A gente tem que confessar que o governo errou, mas na sua mais absoluta vontade de acertar, com escassez de recursos e necessidade de salvar vidas”, avaliou a deputada. Ela destacou acertos, como o distanciamento social.

Governo emite nota

O Governo do Estado afirmou em nota oficial, dia 09, que apoia todas as investigações necessárias para apurar eventuais irregularidades no processo de compra de respiradores, bem como em quaisquer outros processos.

Reforçando o que já foi dito pelo Delegado Geral da Polícia Civil, Paulo Koerich, na manhã de hoje (09/05/2020), vale destacar que o Gabinete do Governador do Estado, tão logo tomou ciência de fatos que indicavam a possibilidade de ilícitos, determinou a imediata abertura de processo de investigação, com total autonomia para os investigadores.

>>>Acesse a nota aqui

Leia também:
Em menos de uma semana, região da Amfri acumula alta de 32% nas notificações de Covid-19
Governo afasta servidora e abre sindicância para apurar denúncias sobre compra de respiradores
Mais sobre: saúde pública;
 
Compartilhe:
  • 1
  • 2