Publicidade
Grupo Alma Açoriana mantém viva tradição de antepassados

 

Município ainda não identificou prioridades e estratégias a médio e longo prazo para fortalecer setor artístico

Publicidade

 

Barra Velha - Espetáculos de música, teatro e eventos de literatura. Essas são algumas opções que fazem falta para quem mora em Barra Velha quando o assunto é cultura. Para os moradores da cidade ouvidos pelo Expresso das Praias, trazer e incentivar mais atrações culturais deve ser uma das prioridades de quem ocupar a cadeira de prefeito a partir de 2017.


O motorista Celso Brunetti, 55 anos, lembra que a cidade costuma ter algumas apresentações culturais durante o verão, mas a mesma frequência de atrações não se repete durante o inverno, deixando os moradores fixos da cidade sem muitas opções.

Continua depois da Publicidade


- Nós temos alguma coisa [apresentações] na temporada, mas quando acaba não temos nada – diz.


A falta de atrações não é sentimento exclusivo de Celso. Para boa parte dos moradores ouvidos pelo Expresso, faltam eventos culturais na cidade.


- Deveria ter mais eventos musicais, para o povo mostrar o seu talento – afirma Sirlene do Amaral, 36 anos.


- Se a gente quer alguma coisa diferente para fazer, tem que ir para fora da cidade, até Joinville, Itajaí, ou Balneário – explica Mônica Aguiar, de 32 anos.


Ewerton Neitzel, 18 anos, cobra mais destaque a elementos tradicionais, como boi de mamão e pau de fita, enquanto Carlos Macedo, 46, pede mais divulgação dos eventos.

Continua depois da Publicidade


- Precisam divulgar mais – recomenda.


Para a cantora e locutora Felícia Oliveira, quem ocupar a cadeira de prefeito a partir de 2017 precisará implementar uma política pública que pense a cultura:

 

- Nós não temos um plano municipal de cultura [...] e sofremos muito com as mudanças de gestão - reclama.

 

Continua depois da Publicidade

Na opinião de Felícia Oliveira, Barra Velha precisa de pessoas capacitadas para pensar a cultura no município. Ela ainda resssalta que “esta não pode ser a primeira área para corte de gastos”.

 

PROPOSTAS

 

Sem um Plano Municipal de Cultura, os municípios não conseguem estabelecer ações prioritárias para o setor que tenham continuidade, independentemente de quem está no poder.  O grande trunfo da cidade é a Festa do Pirão, que está prestes a completar duas décadas e projetou a cidade no cenário estadual e nacional com as tradições gastronômicas, musicais e folclóricas locais.

 

Agora, quem assume o comando do município precisa estabelecer estratégias para garantir a formação e o apoio a novos talentos artísticos e preservar as tradições nativas.  O espaço neste painel é garantido a todos, mas a coligação PSB/PR não havia enviado uma resposta até o fechamento desta edição.

Continua depois da Publicidade

 


 

 

2016 08 24 barravelha joao regis

 João Régis (PP)

O Plano de Governo propõe a realização de um inventário turístico, que mostrará a estrutura do setor e apontará bens materiais e imateriais da cidade a serem priorizados. “Com esse inventário, poderemos por exemplo, estruturar ações para a proteção e preservação do Caminho do Peabiru, cujo parque estivemos recentemente visitando com ambientalistas locais”, afirma. Régis quer fazer ainda o que chama de “resgate da Festa Nacional do Pirão”, com mais espaço para a gastronomia típica, além de destacar folguedos como o Terno de Reis e a Festa do Divino Espírito Santo, por exemplo. O candidato promete colocar em discussão a Lei Municipal de Incentivo à Cultura para viabilizar projetos. E pretende priorizar a contratação de artistas locais para eventos realizados pela Prefeitura.

 


 

 

2016 08 24 barravelha pastor Pastor Becker (PSDC)

Promover a cultura por meio de parceria com a iniciativa privada e a aplicação de políticas de incentivo, visando à criação de espaços culturais e à produção cultural nas suas várias manifestações. Esta é uma das propostas do candidato, que prevê a realização do que ele chama de “rede orgânica de criação e gestão cultural tendo como objetivo estimular a criatividade, potencializar desejos e criar um ambiente propício ao resgate da cidadania, articulando atores pré-existentes pelo reconhecimento da importância da cultura produzida em cada localidade”. Outros princípios definidores desta política cultural incluem: valorizar, incentivar e apoiar as manifestações tradicionais, estimular a criação e a participação sociocultural, promover a preservação da memória municipal,  e o patrimônio cultural, artístico, histórico, religioso e documental do município.        

 


2016 09 07 barravelha candidato walterValter Zimmermann (DEM)

 O candidato a vice-prefeito Fabio Brugnago (PP) falou ao Expresso das Praias sobre as propostas da chapa encabeçada por Zimmermann. “Vamos construir com os barravelhenses um Plano Municipal de Cultura para 10 anos visando garantir o desenvolvimento cultural consistente e continuado, sendo este aprimorado a cada dois anos nas conferências municipais de cultura”, assegura Brugnago. A construção da Casa da Cultura e de um Museu Municipal está nos planos deles. Para preservar e promover o acesso ao patrimônio material, imaterial e natural, o plano de governo promete apoio aos grupos folclóricos e artísticos. “Vamos ainda promover diversas ações como as oficinas de música; calendários de eventos e datas comemorativas para o município; dar atenção especial às festas culturais e religiosas, aprovar lei municipal de incentivo a Cultura.

Publicidade
X

Direitos Reservados

No right click