Publicidade
Júlio Teixeira  apresenta extrato com as operações sob suspeita

 

A denúncia envolve saques irregulares feitos durante a gestão de Serginho no legislativo; conta do filho dele também teria sido usada

Publicidade

 

Piçarras – De volta à Câmara Municipal nesta semana, o ex-presidente do legislativo Sérgio Maia (PSD) enfrenta mais uma denúncia. O presidente da casa, Nico Beduschi (PT), incluiu na pauta da sessão desta terça, 11, discussão sobre a possibilidade de abertura de uma CPI para investigar supostas movimentações financeiras irregulares realizadas quando Serginho era presidente da Câmara, em 2014. A inclusão responde à denúncia protocolada no legislativo local e assinada pelo presidente do diretório municipal do Partido Progressista, Umberto Teixeira.


Segundo a denúncia do PP, Serginho movimentou R$ 741 mil de forma irregular. De janeiro a novembro do ano passado, ele teria feito saques não autorizados da conta corrente da Câmara na agência da Caixa em Penha. O valor teria sido depositado em contas na mesma agência, entre elas uma em nome do filho do vereador, e em seguida teria sido sacado.

Continua depois da Publicidade


Os vereadores do PP dizem ainda que parte do recurso sacado durante o ano foi devolvido antes do fim do mandato de Serginho na presidência. Foram depositados R$ 709.886,00, sendo R$ 492.240,00 na última semana de 2014. Nos extratos bancários, obtidos com exclusividade pelo Expresso das Praias, aparecem um depósito de R$ 29.700,00 no dia 22 de dezembro; outro de R$ 50 mil, no dia 30; e um terceiro, de R$ 412.540,00, no dia 31 de dezembro. O nome da pessoa que fez o depósito não aparece nos extratos.


- Ele devolveu uma parte, faltaram ainda R$ 31.114,00. Mesmo assim, ele não podia sacar esses valores em espécie. Ninguém sabe o que ele fez e de onde veio o dinheiro que depositou depois - dispara o vereador Júlio César Teixeira (PP). Júlio afirma que vai pedir as imagens das câmeras de monitoramento da agência bancária:


- Vamos requerer as imagens do banco para ver se foi ele ou outra pessoa que fez os saques e os depósitos - completa.

 

2015 08 10 extrato camara 1 2015 08 10 extrato camara 2 2015 08 10 extrato camara 3 2015 08 10 extrato camara 4

Continua depois da Publicidade

Extratos mostram depósitos realizados na conta da Câmara no fim do ano


Saques ilegais


De janeiro a novembro de 2014, Serginho fez 19 saques da conta poupança da Câmara Municipal, o que não é permitido pela legislação - todos os pagamentos devem ser feitos por meio de transferência eletrônica ou cheque. Só nos dias 10 e 14 de janeiro, chegaram a ser sacados R$ 100 mil.
O que mais chamou a atenção da bancada do PP foi um depósito na conta corrente de número 22.586 no valor de R$ 25 mil. A conta pertence a Thiago André da Maia, filho do vereador Serginho.


Para falar especificamente sobre esse caso, a reportagem ligou várias vezes para o vereador Serginho à noite de quinta-feira (06), durante o fechamento desta edição, mas ele não atendeu e nem retornou as ligações. Um filiado do PSD disse ao jornal que Serginho estaria viajando.


CPI

Continua depois da Publicidade


Ao incluir na pauta da Câmara a questão contra Serginho Maia, a presidência da Casa acata a denúncia do PP, e garante espaço para discutir o caso. Mas para que uma CPI seja instaurada é necessário que a maioria dos 11 vereadores vote a favor. Se isso acontecer e a irregularidade for confirmada, entre as possíveis punições contra Serginho estão a devolução do dinheiro sacado irregularmente e a perda do mandato por improbidade administrativa.

 

Leia também: 

De volta à Câmara, Serginho diz que está no governo e ataca oposição

Após demissão sumária, Serginho diz que está na oposição

Vereadores vão debater denúncias contra Serginho

Serginho apresenta proposta de resolução contra Júlio César

Continua depois da Publicidade

Prefeitura nega que esteja investigando ações de Serginho

Em meio à crise, PSD renova apoio ao governo Leonel

 

Publicidade
X

Direitos Reservados

No right click