Publicidade
Vacinação

ESTADO - O Governo de Santa Catarina apresentou a proposta do Plano de Vacinação contra a Covid-19 para profissionais da educação catarinenses, na terça-feira (20), a entidades do setor e sindicato da categoria.

Durante a apresentação, não foram definidas as datas para começar a vacinação. Apesar disso, o diretor da Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive), João Augusto Brancher Fuck, defende que o planejamento apresentado é importante para definir o processo para o início da vacinação desses profissionais.

Publicidade

“Ainda não temos um prazo estabelecido, mas todo esse planejamento, escalonamento e coleta de informações facilita muito o processo de vacinação”, reforça o diretor da Dive.

Neste primeiro momento, os profissionais estão divididos em dois grupos. O primeiro deles será focado naqueles que atuam no atendimento presencial ou misto, enquanto o segundo focará nos profissionais que trabalham de forma remota.

Segundo o Governo do Estado, a proposta considera a existência de áreas de atuação que estão mais expostas ao contágio pelo coronavírus, devido à dificuldade da utilização de máscaras e à prática do distanciamento social, a exemplo das turmas de educação infantil.

Continua depois da Publicidade

Confira a lista dos grupos prioritários da educação a serem vacinados em Santa Catarina.

1º grupo - Profissionais que atuam no atendimento presencial

- Educação Infantil (professores e auxiliares);
- Educação Especial;
- Equipe técnica, administrativa e pedagógica (gestão, limpeza, alimentação, orientadores de convivência);
- Ensino Fundamental (professor, segundo professor, auxiliares, intérpretes de Libras) ;
- Ensino Médio (professor, segundo professor, auxiliares, intérpretes de Libras);
- Ensino Superior.

2º grupo - Profissionais que atuam em Atividade Remota
(A ordem seguirá as etapas de ensino da vacinação do 1º grupo)

- Profissionais que são do Grupo de Risco para a Covid;
- Profissionais que atuam em atividade remota, EAD ou similares.

Continua depois da Publicidade
sala de aula foto cristiano estrela secom 403d0
Profissionais do atendimento presencial ou misto serão os primeiros vacinados. (Fonte: Cristiano Estrela/Governo de Santa Catarina)

Cadastro

Para organizar o processo de vacinação, foi elaborado um formulário de coleta de dados dos profissionais. Segundo o Governo do Estado, o arquivo será encaminhado para todos os municípios e a estimativa para início do cadastramento é 26 de abril.

Após a coleta, a equipe responsável deve organizar as respostas, contemplando a sequência estabelecida pelo plano, encaminhando a quantidade total de cada grupo, através de um formulário próprio. Uma cópia da listagem final dos trabalhadores da educação aptos ao recebimento de vacinas deverá ser encaminhada às equipes de vacinadores do município.

O secretário de Estado da Educação, Luiz Fernando Vampiro, entende ser essencial a colaboração dos municípios na execução do plano.

“Esse processo é necessário para incluir informações de todos os profissionais que atuam na escola, como vigilantes e serventes, que não estão incluídos nos dados do Censo Escolar”, finaliza Vampiro.

Continua depois da Publicidade

CoronaVac

Na segunda-feira (19), a Secretaria de Estado da Saúde (SES) emitiu nota técnica que altera o prazo de intervalo entre a primeira e a segunda dose da CoronaVac.

A vacina do Instituto Butantan com a farmacêutica Sinovac poderá ser aplicada com 28 dias de diferença entre as duas doses.

A decisão veio após estudo do Instituto Butantan, que garante a eficácia no intervalo de 28 dias. Previamente, a recomendação da bula da vacina era de 21 dias.

A mudança levou em consideração também a quantidade de vacinas do laboratório Sinovac/Butantan que tem sido encaminhada ao estado pelo Ministério da Saúde nas últimas semanas.

coronavac instituto butantan b2d2c
Mais de 80% das vacinas disponibilizadas no Brasil até então são da CoronaVac. (Fonte: Instituto Butantan)

Eficácia

A eficácia geral encontrada para a Coronavac é de 50,7% segundo os primeiros estudos. Se o intervalo entre as doses for maior que 21 dias, o percentual sobe para 62,3%, diz o Instituto Butantan. Os resultados foram apresentados na semana passada.

Continua depois da Publicidade

Outros dados do estudo, também já divulgados, mostram que a eficácia da CoronaVac para prevenir casos graves de Covid-19 é maior, de 87,3%.

Publicidade
X

Direitos Reservados

No right click