Publicidade
Data para começo das aulas em sistema semipresencial depende de matriz de risco potencial para Covid-19 

REGIÃO -  Enquanto na rede estadual, a retomada já está definida, o município de Penha aguarda a nova matriz de risco potencial para o coronavírus para definir o dia de início das aulas da rede municipal de ensino. O plano de contingência para prevenção à doença já foi desenvolvido pela Secretaria Municipal de Educação e a estimativa é de superar 5.000 alunos atendidos neste ano.

O plano de contingência prevê que escolas do município deverão iniciar o ano letivo 2021 com medidas para prevenção de contágio pela Covid-19, entre elas a limitação de 30% de ocupação da sala de aula. O PlanCon, como é chamado, objetiva preparar as instituições de ensino para o retorno das aulas presenciais em meio a pandemia.

Publicidade

O plano segue o modelo estadual, que foi supervisionado pelo Comitê Estratégico de Retorno às Aulas da Secretaria de Estado da Educação (SEE),  e será voltado para as 29 escolas da rede municipal – incluindo a Escola Especial Henny Coelho, da Apae, e Ivone Nympha Adriano, da Educação de Jovens Adultos (EJA).

SAIBA MAIS: Rede pública vai adotar sistema de ensino semipresencial durante a pandemia

Segundo a Secretária Municipal de Educação, Deise Izonete de Souza, o PlanCon é composto de oito diretrizes educacionais que visam ações voltadas à proteção das crianças. O plano estipula diretrizes sanitárias, pedagógicas, de transporte, alimentação, gestão de pessoas, informação e comunicação. Metodologias para o treinamento, capacitação e finanças nas escolas também são descritas no PlanCon.

Continua depois da Publicidade

A Secretária Municipal de Educação e a coordenadora de Educação, Valdinéia Bortolatto Germano, observam que o trabalho iniciou pela formação dos representantes da comissão municipal, montada especificamente para o projeto e supervisionada pelo Estado.

A partir disso, cada escola de Penha teve que designar sua própria comissão escolar, de cinco ou mais representantes”, especifica Deise Izonete de Souza. 

Além da redução em 30% dos alunos, serão instaladas sinalizações educativas sobre o coronavírus nas escolas e medidas de segurança serão adotadas nos espaços comuns usados por estudantes, servidores e professores, além de pátios, abrigos de ônibus e veículos de transporte.

Gestores, professores, pais de alunos, representantes da nutrição escolar e das associações de pais e professores (APPS) contribuíram com sugestões aos planos de cada unidade.

A comissão analisou os documentos de cada escola, fez alterações necessárias realizou a homologação.  O trabalho somou esforços da Defesa Civil e ainda outras secretarias, como Saúde, Assistência Social, escolas estaduais e particulares e setores de transporte escolar.

Continua depois da Publicidade

Esse retorno será então escalonado, em fevereiro. Os recreios serão em sala, com alimentação também em sala; as turmas estudarão em blocos; enquanto um bloco está na escola, outro têm atividades on line em casa; e assim se revezam. É o chamado ensino híbrido”, detalha Valdinéia Bortolatto Germano.  

A assessoria de comunicação da Prefeitura Municipal de Balneário Piçarras informou que o município já trabalha no planejamento para o retorno das aulas e que deve disponibilizar informações nesta quarta-feira, dia 13. 

Publicidade
X

Direitos Reservados

No right click