fbpx

Publicidade
Yukaline - Conecta você
Levantamento indica gasto médio maior que no ano anterior

ESTADO - Sete em cada dez famílias devem comprar o material escolar entre o final de janeiro (36,1%) e início de fevereiro (34,2%) em Santa Catarina, conforme aponta a Pesquisa de Intenção de Compras para o período de volta às aulas, realizada pela Fecomércio SC em sete cidades.

O gasto médio com os itens em 2019 deve ser maior em relação ao ano anterior: a pretensão é desembolsar, em média, R$286,53 nas compras, 8% a mais do que em 2018 (R$ 265,37). Enquanto Blumenau pode ter o maior gasto médio (R$ 325,91) no Estado, os consumidores em Criciúma (R$256,92) devem ser mais econômicos.

Publicidade

A data dá a largada nas vendas do varejo no ano, porém concorre com outros gastos do catarinense, de acordo com o presidente da Fecomércio SC, Bruno Breithaupt.

“Para equilibrar a compra dos itens com as outras despesas comuns no início do ano - como matrícula, IPTU, IPVA, etc - a estratégia de quase 70% dos catarinenses é pesquisar preços. Os empresários que praticarem bons preços ou apresentarem algum diferencial, como facilidades na forma de pagamento ou descontos para mais de um filho/dependente, vão atrair mais clientes”, afirma Breithaupt.

O principal destino das compras deve ser o comércio de rua (90,8%), com papelarias e livrarias à frente dos outros estabelecimentos, como supermercados (3,3%), shoppings (1%) ou internet (0,8%).

A pesquisa sobre o comportamento de consumo na compra do material escolar foi realizada entre os dias 07 e 12 de janeiro de 2019, com 2.089 pessoas, nas cidades de Chapecó, Lages, Florianópolis, Criciúma, Joinville, Itajaí e Blumenau.
Consumidor otimista

Outra pesquisa divulgada pela Fecomércio dia 25 revela que 82% dos consumidores no estado acreditam que o ano de 2019 será melhor que 2018. A pesquisa Expectativa do Consumidor e do Empresário ouviu 2.109 consumidores e 402 empresários em Chapecó, Lages, Florianópolis, Criciúma, Joinville, Itajaí e Blumenau. Os empresários ainda mantêm uma postura ponderada: 64% afirmaram que não realizarão investimentos.

Leia também:
 
 
 
 
Mais sobre: educação;

 

Publicidade
  • 1
  • 2

Publicidade
X

Right Click

No right click