fbpx
Novo edital de concessão deve ficar pronto em até 12 meses
Compartilhe:

Barra Velha - Até o dia 11/10 as prefeituras da região devem responder à concessionária Viação Navegantes se estão dispostas a contribuir com os custos operacionais da linha de ônibus coletivo Barra Velha - Itajaí. A proposta foi apresentada pela empresa como única alternativa para manutenção do serviço.  Um novo edital de concessão está sendo formulado, mas devido a exigências técnicas e legais, sairá entre 6 a 12 meses.

A Prefeitura de Penha, onde duas comunidades devem ficar sem nenhum serviço de transporte coletivo, já adiantou à reportagem do Expresso das Praias que não vê possibilidade legal de oferecer o subsídio, mas espera conseguir um acordo. Em Balneário Piçarras e Barra Velha a legalidade e viabilidade financeira da proposta também é analisada.

Continua depois da Publicidade

Nas comunidades de São Nicolau e São Cristóvão, em Penha, segundo a concessionária, cerca de 12 pessoas costumam usar o transporte da Viação Navegantes assiduamente como meio de locomoção para o trabalho e estudo. Além delas, outras usam eventualmente para necessidades do cotidiano, como é o caso de Lúcia Carmen da Silva, 58 anos:

“O ônibus é importante, costumo usar para ir no banco, em um médico quando preciso, comprar coisas pra casa. Também uso para ir visitar minha filha e ela pra vir pra cá me ver. Sem o ônibus não sei como ficarão as coisas. Espero que consigam resolver esse problema”.

A Viação Navegantes alega que a linha é deficitária e que precisaria de subsídio das Prefeituras para cobrir os custos.  De acordo com a concessionária, a linha intermunicipal opera em caráter experimental graças a um acordo com a Prefeitura de Barra Velha, depois de a Autoviação Catarinense suspender uma linha que atendia às regiões da SC-414 e BR-101, também por baixo faturamento.  

“Tentamos manter a linha até onde deu, compensando o prejuízo dessa linha em outras, mas a situação piorou, o preço do diesel e a manutenção aumentaram e não há nenhuma perspectiva de melhoras”, informa o gerente Márcio Cardoso.

Segundo ele, a linha arrecada por mês em média R$ 7 mil e as despesas fixas mensais são de R$ 8 mil.

“O ideal para manter a linha seria uma arrecadação de 15 mil reais”, alega.

Em reunião dia 5 com lideranças locais, a empresa deu prazo (11/10) para que as Prefeituras se posicionem sobre a proposta de oferecerem contrapartida para cobrir as despesas fixas da linha a fim de mantê-la.  A gerência declarou em outra ocasião, sem dar detalhes, que outra empresa está atuando de forma irregular em Penha, prejudicando ainda mais a Viação Navegantes.

Leia também:
 
* ACADÊMICO DE JORNALISMO SOB SUPERVISÃO
EDIÇÃO: LEANDRO CARDOZO DE SOUZA
 
Compartilhe:
  • 1
  • 2