Publicidade
Cerca de 20% dos mortos têm entre 30 e 49 anos

REGIÃO – Análise do Laboratório de Conservação e Gestão Costeira da Universidade do Vale do Itajaí (Univali) indica que dos 295 municípios catarinenses, 90 têm casos notificados da doença. O estudo também aponta que a faixa etária mais acometida pelo vírus, no Estado, está entre 30 e 39 anos, com 22% dos casos.

Entre o público acometido, 55,2% são homens e 44,8% mulheres e a taxa de letalidade do novo coronavírus em SC é de 3,2%, sendo que 53% dos óbitos são de homens e 47% de mulheres. A faixa etária com o maior número de mortos está entre 70 a 89 anos com 46,6%. No entanto, o professor Marcus Polette, docente que coordena a análise na Univali, alerta que 20% dos mortos estão na faixa de 30 a 49 anos. Ele comenta ainda que a região Sul do Estado possui uma taxa de letalidade igual a 6,2%.

Publicidade

Sobre a ocorrência da doença nos municípios catarinenses, o mapeamento feito no dia 8 de abril sinalizou que um em cada cinco municípios do Estado, tinha casos do coronavírus. A projeção baseada nos dados oficiais de ontem (16), aponta que agora uma em cada três cidades têm casos registrados, ou seja, um incremento de 38% em apenas oito dias. Do total de casos confirmados em SC, 20% estão em cidades com menos de 10 mil habitantes e praticamente todos os municípios ao longo da BR 101 tem caso.

Na região da Associação dos Municípios da Foz do Rio Itajaí (Amfri) foram verificados até o dia de ontem (16), 177 casos. Isso representa 19% do total do Estado, índice estável há pelo menos oito dias, de acordo com os pesquisadores. Em contrapartida, no eixo Balneário Camboriú e Camboriú, já existem 111 casos, o que corresponde a 62% dos casos da Amfri.

“Em Camboriú houve um incremento de 350% dos casos em apenas oito dias. Vale ressaltar que a maior taxa de letalidade na região ocorre em Itajaí com 4,2%", observa o professor Polette.

Continua depois da Publicidade

mapa Covid 16-04.jpeg

Os dados oficiais divulgados sobre a ocorrência da Covid-19 em Santa Catarina estão sendo mapeados e analisados pela Univali. A análise considera a dinâmica territorial e relaciona os resultados com dados demográficos, de saneamento, faixa etária, Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) e o impacto do vírus nos diversos setores que compõem o Estado.

O acadêmico de Engenharia Ambiental e Sanitária, Paulo Pitarello, bolsista do Artigo 171, desenvolve o trabalho sob orientação de Marcus Polette, da Escola do Mar, Ciência e Tecnologia.  Duas professoras da Escola de Ciências da Saúde uniram-se à dupla nas análises. A equipe trabalha em parceria com um grupo da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

As análises começaram na semana passada e indicaram que os casos estavam concentrados nas áreas mais urbanizadas. Até semana passada, do total de ocorrências em SC, 70% encontravam-se em apenas oito municípios: Florianópolis, Criciúma, Blumenau, Itajaí, Joinville, Tubarão, Braço do Norte, São José e Balneário Camboriú – municípios que concentram 30% da população do estado.

Leia também:
Vigilância Epidemiológica confirma novos testes positivos para Covid-19 em Piçarras e Penha
Publicidade
X

Direitos Reservados

No right click