Publicidade
Comunidade e Prefeitura se mobilizam para atender famílias afetadas pela enchente

BARRA VELHAA Prefeitura comunicou, às 19h30, que o CEI Nadida Michereff, localizado na Rua Higino Aguiar, N° 370, foi preparado para receber os desalojados e que a Secretaria Municipal de Educação cancelou as aulas desta segunda-feira (18). A tendência é de que o período de chuva persista até quarta-feira (20), com céu encoberto, pancadas de chuva e algumas aberturas de sol. O litoral também está em alerta de ressaca e rajadas de vento.

O município soma o maior volume de chuva registrado em 72 horas no estado (209 mm até as 18h), todos os bairros e a área rural registraram pontos de alagamento e a Defesa Civil ainda faz o mapeamento para divulgar os números oficiais. Até as 17:30 a informação oficial era de que o município tinha oito pessoas desalojadas, mas os relatos e imagens de casas invadidas pela água não param de circular nas redes sociais. 

Publicidade
"Estamos desalojando algumas famílias e abrindo alguns pontos de abrigo. Estamos organizando a questão junto com a Secretaria de Planejamento e a Igreja Assembleia de Deus também está nos dando apoio" - informa o coordenador de Defesa Civil Elton Cunha.

Ouça a entrevista na íntegra (gravada às 16:06):

 

Itajuba submersa

No bairro Itajuba, o nível do rio subiu e moradores que ficaram ilhados precisaram ser resgatados por uma embarcação do Grupo de Reação e Ações Coordenadas (GRAC). Voluntários do Jeep Clube, bombeiros Voluntários e Militares compõem a equipe que presta o atendimento às chamados da população pelo telefone de emergência 199. Eles atuam com a Defesa Civil a partir da Sala de Situação montada junto à Secretaria de Educação.

O professor Israel Coelho, morador da Rua João Reis, em Itajuba, registrou alguns momentos de tensão vividos por ele e pelos vizinhos durante esta tarde. Depois que alguns moradores ribeirinhos foram resgatados pelo GRAC, a água avançou rapidamente durante algumas horas. Quando chegou na frente da casa dele, a oitava a partir do Rio Itajuba, o morador começou a levantar os móveis.

2019_02_17_18h30_barravelha_enchente_itajuba_1.jpg
Comunidade mobiliza ajuda para vizinhos que tiveram casas alagadas (Foto: Israel Coelho)

No fim da tarde, ainda havia tensão na vizinhança por conta do escoamento da água:

A chuva deu uma trégua, mas a água acumulada nos bairros desce pelo rio Itajuba e deságua na barrinha, encontrando se com a maré, que está baixando, mas muito lentamente. A Defesa Civil não está dando conta e a própria comunidade está ajudando - contou Israel ao Expresso das Praias às 16h43 deste domingo.

Para ele, a falta de dragagem no rio que corta a comunidade é o principal fator para os alagamentos.

"Vem sendo prometido várias vezes o desassoreamento desse rio, mas não vem acontecendo. Esse problema de alagamento direto é só por falta de desassoreamento" - reclama.

Continua depois da Publicidade

Ouça a entrevista na íntegra (gravada às 15h57): 

A moradora Grazi Stocloska relatou caos no trânsito após o alagamento da maior parte do bairro Itajuba:

"Todas as transversais entre a Av.Itajuba (sul/norte) e a Rua José Quintino (norte/sul) de Itajuba ficaram completamente tomadas. Os carros estão utilizando a Av.Itajuba na contramão para poder ir sentido Balneário Piçarras" - contou a moradora.

2019_02_17_18h30_barravelha_enchente_sao_cristovao.jpg
Bairro São Cristóvão também teve ruas invadidas pela água (Foto: Divulgação | PMBV)

O Expresso das Praias acompanha junto à Defesa Civil o andamento das ações de apoio aos atingidos.

Boletins atualizados do volume de chuva: http://bit.ly/ciramchuva
 
Previsão do Tempo Atualizada: http://bit.ly/ciramprevisao
 
 
 
Leia também:
Chuva acumulada passa dos 150 mm em 24 horas e provoca alagamentos no Litoral Norte
Defesa Civil entra em alerta com previsão de chuva persistente durante o fim de semana
Governo do Estado classifica situação de emergência do município em nível 2, o mais alto
Publicidade
X

Direitos Reservados

No right click