Publicidade

Beto Carrero

O acumulado de chuva no município de Penha em janeiro, segundo a Epagri, foi de 419,6mm, volume 120% acima da média para esta época do ano (190 mm). Não há famílias desalojadas, mas algumas áreas precisam de ações para evitar novos deslizamentos e alagamentos.  

Publicidade

Inúmeros moradores já estão pedindo na Prefeitura a revisão da Contribuição ao Sistema de Iluminação Pública (COSIP). É necessário levar o carnê de IPTU e formalizar a reclamação para que o município possa analisar. O Ministério Público deve se pronunciar nos próximos dias a respeito da denúncia feita pelo vereador Thiago Pinheiro (PSB) sobre a ilegalidade da cobrança iniciada neste mês para todos os proprietários de imóveis, sejam eles beneficiados com a iluminação pública ou não. 

Vote e comente:

Foto: Arquivo | Divulgação

O tempo médio de permanência dos internos na instituição aumentou e chegou a 90 dias. O número é satisfatório, segundo o diretor do Sítio, Gilberto Cardozo. Dos 50% dos que ficaram por mais tempo em tratamento, mais da metade concluiu o programa terapêutico, que sugere 180 dias, no mínimo.

Governo de Penha busca apoio junto ao Estado para recuperar a cidade dos estragos causados pelos alagamentos. A Defesa Civil já encaminhou o pedido para que as famílias atingidas possam sacar o saldo do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS). Nesta semana, a Prefeitura distribuiu mantimentos, colchões e roupas para cerca de 150 famílias atingidas.

Asfaltamento era para dezembro, mas serviço ainda não chegou nem à metade. O transtorno criado em plena temporada de verão revoltou os moradores e motoristas que utilizam a rua como principal ligação da região central com a comunidade. 

 Sonoro “NÃO!” ecoou pelo salão paroquial da Capela São João Batista durante a Conferência da Cidade nesta segunda-feira (15). A proposta visava permitir a verticalização do entorno do Trapiche e da capela construída em 1759.

Entre as novas metas para a concessionária está a implantação de esgoto nas praias de São Miguel e Armação, com recuperação da balneabilidade até 2019 e 2020. Apesar de maciça, a aprovação do novo contrato pela sociedade civil não é unânime.

Os 167 jovens dispensados (veja a relação aqui) neste ano do serviço militar obrigatório têm até o dia 7 de janeiro para retirar o certificado de dispensa. A 35ª Junta Militar fica na rua Eulália Trindade, em frente ao Fórum.  De acordo com a secretaria, após o prazo final para retirada, os certificados deverão ser incinerados.  Quem precisar retirar o documento precisará pagar uma taxa para obter outra via.

X

Right Click

No right click