Publicidade

Beto Carrero

 

Nesta segunda parte da história do nosso cantador, Antônio Luiz Silvestre, nós o reencontramos à beira do leito da mãe, dona Serafina. Ele tem apenas 07 anos e já precisa enfrentar uma difícil despedida. A mãe, agonizante, chama os filhos para uma derradeira conversa. À essa altura, só restavam três dos seis filhos: dois meninos e uma menina.

Publicidade

Antônio Luiz Silvestre é piçarrense nascido à beira-mar em 1930, teve carreira de sucesso como cantor sertanejo e chegou mesmo a ser incentivado pelos grandes Tonico e Tinoco. Como tudo se passou o leitor vai descobrir a partir de agora. Acompanhe. 

Deixar partir é um grande desafio: sair da infância, distanciar-se da juventude, concluir que uma etapa se encerrou para dar lugar à outra... Mas nada se compara ao rompimento do fio tênue da vida. 

Zófia Maria Ziobro é uma sobrevivente, uma testemunha lúcida de um episódio dos mais lastimáveis na história da humanidade: a II Guerra Mundial. A resiliência de Zófia, sua capacidade de resistir, reerguer-se, adaptar-se, é inspiradora. Ouvi-la e registrar seu relato torna-se, por isso, mais que uma função jornalística, uma forma de alertar as novas gerações sobre os riscos representados pela ganância e pela sede do poder.

Quando começamos a contar a história de dona Zófia Maria Ziobro, prometemos ao leitor revelar por que tinha ela uma irmã de mesmo nome - Maria Zófia. Esse fato sempre intrigou quem conheceu a ambas trabalhando na área da saúde pública em Piçarras. Dona Zófia Maria era dentista e dona Maria Zófia, enfermeira-obstetra. As duas não tinham o mesmo sobrenome (Maria Zófia assinava Bonikowska Schubert), mas se apresentavam como irmãs.  Neste, que é o nono episódio da série sobre a vida de Zófia Maria Ziobro, ela finalmente revela como foi esse encontro. 

X

Right Click

No right click