Publicidade

Yukanet

Projeto de orçamento federal para 2018 prevê 99% de perdas nos recursos destinados à assistência social

Barra Velha - Os municípios da região estão preparados para integrar um protesto nacional em defesa do Sistema Único de Assistência Social (SUAS), que pode sofrer cortes de 99,94% nas verbas para o próximo ano. O dado consta de estudo divulgado nesta semana pela Confederação Nacional dos Municípios (CNM) e pode representar o fim de serviços e projetos desenvolvidos junto a cerca de três mil famílias só em Barra Velha.  Em todo o Brasil, a CNM estima que mais de 73 milhões de pessoas podem ir para a faixa da extrema pobreza.

A Associação dos Municípios do Vale do Itapocu (Amvali) vai se integrar à mobilização. Um protesto em Jaraguá do Sul está marcado para esta terça-feira 7 de novembro com saída às 14h, em frente à Praça Ângelo Piazera. 

Publicidade

 

De acordo com a Secretaria Municipal de Assistência Social (Semas), o orçamento anual da pasta para 2017 é de cerca de R$ 700 mil em recursos próprios e outros R$ 750 mil em repasses federais.

- O orçamento do município não tem um valor fixo destinado para a assistência social - explica a diretora Adriana Cunha.

Segundo ela, caso a proposta federal para 2018 seja aprovada pelo Congresso, cidadãos em situação de vulnerabilidade social, principalmente idosos e crianças, podem deixar de ser atendidos em programas como o Vida Saudável e a Oficina de Pães. O repasse de recursos e de alimentos para entidades de utilidade pública que prestam serviços sociais em Barra Velha também pode ser comprometido. 

O estudo da CNM alerta que a proposta de orçamento para 2018 prevê uma perda de recursos de 99,94% para os Centros de Referência da Assistência Social (CRAS) em relação ao ano de 2017. Assim, os Centros de Referência Especializada da Assistência Social (CREAS) vão perder 99,87% e a proteção social especial de alta complexidade terá corte de 99,76% em relação a 2017. 

Para o Índice de Gestão Descentralizada do Suas (IGD-SUAS), devem ser destinados 99,57% recursos a menos. Segundo a CNM, os cortes na área da assistência social devem levar para a faixa da extrema pobreza 73.991.246 pessoas que dependem desses serviços e equipamentos públicos.

 - A entidade acredita que se trata de uma ação grave, pois compromete os serviços ofertados nos Cras existentes em mais de 99% dos municípios brasileiros - afirma nota da CNM.

Leia também:

Publicidade
  • 1
X

Right Click

No right click